L-OPTIZINC® : Zinco Orgânico Biodisponível

A importância do zinco na nutrição humana foi reconhecida há pouco tempo. Níveis insuficientes de zinco foram reconhecidos por inúmeros especialistas como um importante problema de saúde pública, especialmente nos países em desenvolvimento. Os sintomas envolvidos em uma dieta pobre em zinco incluem: atraso no crescimento, diarreia, perda de apetite, pele pálida, perda de cabelo, pneumonia, desempenho neuropsicológico perturbado e desenvolvimento de anomalias fetal.

L-OptiZinc® é um complexo único e patenteado que contém zinco e metionina na forma sulfato que confere absorção superior e maior tempo de retenção no organismo. L-OptiZinc® é mais eficaz que qualquer outra forma de zinco, aumentando assim os benefícios promovidos pelo zinco associados à saúde, em menores doses.

O Zinco é um mineral essencial para a atividade metabólica de diversas enzimas do nosso corpo, e é considerado essencial para a divisão celular e síntese de DNA e proteínas. Também é fundamental para a manutenção do sistema imunológico, produção de prostaglandina, fortalecimento ósseo, função da tireoide, coagulação sanguínea, funções cognitivas, produção de esperma e crescimento fetal.

Além de promover a formação de colágeno, o zinco apresenta também função antioxidante, o que garante uma pele bonita e o crescimento saudável de unhas e cabelos.

Estudos comprovam que o zinco participa ativamente no controle da diabetes, ajuda a melhorar a memória e mantém a função normal da próstata.

Em mulheres grávidas, a falta de zinco pode diminuir as células do cérebro do feto, afetando seu desenvolvimento mental. Nas crianças, a falta de zinco irá dificultar o seu crescimento normal, desenvolvimento intelectual e a saúde do sistema reprodutivo.

Nos homens adultos, a deficiência desse mineral pode causar hiperplasia prostática, reduzindo a função do sistema reprodutivo e afetar a fertilidade. A deficiência em atletas pode levar a anorexia, perda de peso, diminuição da resistência, fadiga e um aumento do risco de osteoporose.

Recomendação de uso

É indicada a ingestão diária de 75mg de L-OptiZinc®.

Ações

 Controlador hormonal e imunológico

 Estimulante celular e cerebral

 Anti-envelhecimento

 Cicatrizante

 Antioxidante

 Anti-Alopecia

Aplicações

L-OptiZinc®, com doses ideais de zinco em ingestão diárias é reconhecido por:

Ter potente ação antioxidante;

Suportar funções musculares;

Manter a saúde celular;

Manter níveis saudáveis de testosterona;

Suportar o sistema imune;

Suportar o sistema reprodutor;

Suportar saúde dos olhos;

Equilibrar funções dos nervos;

Manter a saúde da pele, unhas e cabelos;

Melhorar a saúde do Sistema digestivo;

Suportar a saúde da próstata;

Manter o envelhecimento saudável.

Vantagens

 25% mais biodisponível que qualquer outra forma de zinco

 Maior absorção e rapidez na ação

 Maior tempo de retenção a níveis sanguíneos

 Aprovado pelo FDA como seguro para consumo humano

 

Descrição/Biodisponibilidade

L-OptiZinc® é um complexo 1:1 de zinco e metionina, o aminoácido com melhor absorção no organismo. Esse complexo único e patenteado quando comparado a outras formas de zinco, apresenta melhor absorção, retenção, ação antioxidante e propriedades protetoras das células.

Suplementação com zinco

A suplementação com L-OptiZinc® aumenta a quantidade de zinco no organismo de forma segura. O zinco é componente de algumas metaloenzimas tais como superoxido-dismutase, anidrase carbônica, alcool-desidrogenase, carboxipeptidase, fosfatase alcalina, DNA e RNA polimerases, com efeitos nos metabolismos dos carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos (NRC, 2001). De acordo com MacDonald et al. (2002), o elemento está presente em mais de setenta enzimas.

O zinco tem função relacionada em sistemas enzimáticos envolvidos com o metabolismo dos ácidos nucléicos, síntese de proteínas e metabolismo de carboidratos. Em tecidos com rápido crescimento, a deficiência de zinco reduz a síntese de DNA e RNA impedindo a divisão e o crescimento celular.

Estudos clínicos

  1. Biodisponibilidade

Estudos têm mostrado que o zinco metionina é melhor absorvido e retido por mais tempo no organismo quando comparado a outros suplementos de zinco. A biodisponibilidade do zinco normalmente é baixa, menos de 10% do zinco da dieta é absorvido pelo organismo.

Em um estudo de absorção humana, nove adultos receberam 25mg de zinco elementar, de zinco metionina, sulfato de zinco e zinco poliascorbato, isoladamente em solução aquosa ou adicionado a uma refeição comum. A refeição era padrão, e continha alimentos vegetais habitualmente consumidos na área rural do México.

O zinco metionina teve absorção 16% superior ao zinco poliascorbato e 25% superior ao sulfato de zinco.

Quando os suplementos foram administrados em solução aquosa, a área sob a curva (AUC), quatro horas depois, foi de 262mg/dl para zinco metionina, 225mg/dl para zinco poliascorbato e 210mg/dl para sulfato de zinco.

A figura 1 demonstra a diferença na AUC para as diferentes formas de zinco. A absorção de zinco metionina foi significativamente mais elevado quando comparado ao sulfato de zinco.

Não houve diferença nos níveis plasmáticos dos suplementos de zinco na presença da refeição padrão.

Figura 1. Absorção dos diferentes tipos de zinco.

  1. Atividade antioxidante

Pesquisas mostraram que o L-OptiZinc® tem propriedades antioxidantes superiores a outras formas de zinco, bem como superiores a Vitamina C e Betacaroteno. L-OptiZinc® é capaz de agir como um estabilizador de membrana e auxiliar na desintoxicação de membranas celulares, deslocando metabólitos tóxicos e metais pesados de tecidos biológicos.

Em um estudo in vivo, de pré-tratamento de animais com o L-OptiZinc®, OptiZinc (DL-metionina), gluconato de zinco e sulfato de zinco, notou-se uma diminuição das espécies reativas de oxigênio cerca de 45%, 31%, 19%, 12% e 28% respectivamente, em comparação ao placebo. O pré-tratamento em ratos com L-OptiZinc®, OptiZinc (DL-metionina), vitamina E, gluconato de zinco, sulfato de zinco, L-metionina e DL-metionina diminuiu a produção do ânion superóxido em 54%, 35%, 13%, 15% e 29%, respectivamente, em comparação ao controle.

As Figuras 2 e 3 demonstram as diferenças na capacidade antioxidantes entre as diferentes formas de zinco.

Figura 2. Inibição de espécies reativas de oxigênio com 50μM de zinco.

Figura 3. Inibição do ánion superóxido com 50 μM de zinco.

Guia de condições de armazenamento e manipulação: L-OptiZinc®.

Após cada uso, mantenha o produto em sua embalagem original, selando-a após retirar o máximo de ar possível. Esta embalagem selada deve ser mantida em pote preto com sachês ou capsulas de sílica (secante).

Tanto para o armazenamento quanto no momento da pesagem e manipulação, manter ambiente com temperatura e umidade controladas.

Para pesagem utilize utensílios (espátulas) limpos e muito bem secos.

É fundamental o uso de excipientes específicos que possuam como característica evitar a umidade, reduzindo assim a higroscopia, como por exemplo, Aerosil®.

À embalagem do produto final (capsulas) deve ser adicionada capsulas ou sachês de sílica também. Deve-se orientar o paciente a guardar a embalagem do produto em local seco, arejado e ao abrigo da luz. Seguindo todas as recomendações você preservará a qualidade do produto.

Fonte : Site Pharmanostra

 

Vitamina B6: quais são seus benefícios para a saúde e onde encontrá-la

Dentre as vitaminas que compõem o complexo B, está a vitamina B6, também conhecida como Piridoxina. Assim como as outras do grupo, ela tem funções importantíssimas no organismo humano.

Vanessa Caluete, nutricionista clínica da LC Restaurantes (empresa de refeições coletivas) e pós-graduada em Nutrição e Metabolismo Esportivo pelo GANEP – Nutrição Humana, explica que a vitamina B é necessária para o bom funcionamento de mais de 60 enzimas, participa da multiplicação das células (inclusive as do sistema imunológico) e da produção das hemácias.

A vitamina B6 é encontrada em abundância em alimentos de origem animal e vegetal, assim, pode ser suprida ao organismo através da alimentação.

Esta vitamina tem papel importante, por exemplo, na gravidez, mas oferece outros inúmeros benefícios à saúde. Saiba mais sobre ela abaixo.

7 principais benefícios da vitamina B6

A vitamina B6 é um dos nutrientes mais importantes no corpo humano, desempenhando papel importante nas reações químicas que ocorrem no organismo. Confira:

  1. Atua na multiplicação das células:Vanessa ressalta que a vitamina B6 participa da multiplicação das células do sistema imunológico e da produção das hemácias.
  2. Previne a anemia:A nutricionista destaca que a vitamina B6 tem papel importante na prevenção e tratamento desta doença, já que ajuda na produção de hemoglobina que, por sua vez, transporta ferro pelo corpo.
  3. Reduz os sintomas da TPM:Vanessa explica ainda que a vitamina atua na eliminação do excesso de estrogênio, ajudando assim a aliviar os sintomas da tensão pré-menstrual.
  4. Melhora o sono e contribui para o bom humor:a vitamina B6 ajuda na produção de serotonina, entre outros neurotransmissores importantes relacionados ao sono e humor. Pode ainda, assim, ajudar na melhora dos sintomas da depressão.
  5. Mantém a integridade do cérebro:sendo responsável pela síntese de alguns neurotransmissores (dopamina, histamina, serotonina e epinefrina), destaca a nutricionista comportamental Patrícia Cruz, a vitamina B6 ajuda a manter a integridade do cérebro.
  6. Ajuda na absorção e digestão dos nutrientes:Patrícia destaca que a vitamina B6 participa ativamente do metabolismo dos carboidratos, proteínas e lipídios.
  7. É importante na gravidez:a nutricionista comportamental explica que essa vitamina é importante na gravidez por ajudar na prevenção da anemia e também auxiliar na redução das náuseas e vômitos. Vanessa ressalta ainda que a vitamina B6 auxilia no metabolismo da proteína consumida, que será usada na produção de leite materno.

Com tantos papéis, não há dúvidas do quanto o consumo dessa vitamina é importante, e ele é feito por meio da alimentação.

Onde encontrar a vitamina B6

A boa notícia é que a vitamina B6 está presente em muitos alimentos, sendo assim, rara sua deficiência. As nutricionistas destacam como principais fontes desta vitamina:

Fontes de origem animal

  • Peixes (salmão, bacalhau, atum, truta, anchova)
  • Carnes de aves
  • Carne suína
  • Carne bovina
  • Leite
  • Vísceras (fígado, coração, rim)
  • Ovos

Fontes de origem vegetal

  • Frutas como banana, abacate, melancia e ameixa
  • Cereais integrais (trigo integral, gérmen de trigo)
  • Feijão branco
  • Soja
  • Ervilha
  • Frutas oleaginosas (avelã, nozes)
  • Batata
  • Aveia
  • Semente de girassol

De acordo com Patrícia, a recomendação diária de vitamina B6 é, em média, 1,3 mg.

Vanessa destaca que as quantidades de consumo de vitamina B6 deverão ser estabelecidas de acordo com as necessidades fisiológicas, levando-se em consideração sexo, idade e período gestacional (para mulheres).

Os sinais da deficiência de vitamina B6

A deficiência desta vitamina, que está presente em muitos alimentos, é relativamente rara, mas pode ocorrer, trazendo sinais como os destacados abaixo pelas nutricionistas:

  • Anemia
  • Fadiga
  • Depressão
  • Fraqueza muscular
  • Língua inchada
  • Insônia
  • Cefaleia
  • Lesões nos lábios e na pele
  • Irritabilidade e/ou alterações de humor
  • Ansiedade
  • Sintomas mais intensos na tensão pré-menstrual
  • Náuseas associadas à gravidez

A suplementação, de acordo com Patrícia, é necessária quando há sinais de deficiência, durante a gestação e em grupos de risco, como etilistas.

Mas, vale destacar que somente um profissional da área da saúde poderá diagnosticar a deficiência desta vitamina e indicar a suplementação.

Excesso de vitamina B6

Patrícia explica que o consumo excessivo por meio da alimentação é raro. “Pode acontecer em casos de suplementação, causando insônia e falta de apetite – sintomas que desaparecem após duas semanas de suspensão do suplemento”, diz.

Vanessa ressalta que a hipervitaminose de vitamina B6 pode causar danos nos nervos, nos braços e pernas: formigamentos, câimbras e espasmos musculares. “Os efeitos variam entre dor de cabeça, insônia e náuseas”, acrescenta.

Agora você já conhece os benefícios da vitamina B6 e os principais alimentos que a contêm. Vale destacar que uma alimentação equilibrada, preferencialmente orientada por um nutricionista, provavelmente suprirá as necessidades diárias desta e de outras vitaminas.

Fonte : Site Dicas de Mulher

 

Emagrecimento saudável com Morosil®: na medida do seu objetivo!

O emagrecimento saudável, sem restrições e com toda a nutrição equilibrada é o principal objetivo da maioria das pessoas que procura atendimento personalizado, principalmente, com a epidemiologia crescente da obesidade. O ganho de peso excessivo e o aumento de gordura corporal vêm potencializando a preocupação com a alimentação nos dias atuais e, por isso, essa procura por cuidados cresce a cada dia, seja pela estética, seja pela saúde em si.

A obesidade é caracterizada, mormente, pela hipertrofia das células adiposas, o que pode gerar a chamada hipóxia tecidual, associada com o desenvolvimento da inflamação e aumento de adipocinas pró-inflamatórias. O desequilíbrio funcional do organismo, diante do excesso de peso, pode promover diversas alterações metabólicas, sobretudo, na resistência à insulina, esteatose hepática e nas doenças cardiovasculares. Alguns alimentos são capazes de contribuir para a prevenção dessas alterações. Um deles é o suco de laranja-moro, que já mostrou resultados na diminuição dos níveis plasmáticos de triglicérides e de colesterol total, aumentando a sensibilidade à insulina e auxiliando na redução do peso. Esse benefício que a laranja-moro promove no organismo acontece por conta da qualidade dos seus compostos funcionais, principalmente, a antocianina C3G, responsável por contribuir para o controle da expressão da proteína transportadora de ácidos graxos, diretamente envolvida na captação de lipídeos, e por aumentar a expressão da adiponectina, hormônio proteico secretado pelo tecido adiposo e responsável por melhorar esses processos metabólicos

 

A mudança de hábitos alimentares juntamente com a complementação da dieta com fórmulas magistrais e a prática de exercícios físicos são os fatores comprovados para auxiliar na redução de gordura. E, pensando que cada pessoa tem o seu motivo específico quando o assunto é emagrecimento, a prescrição de ativos da Galena é a melhor solução e a mais segura. Para isso, não restam dúvidas do principal ativo envolvido nesse processo: Morosil®, o único ativo extraído da laranja-moro cultivada ao redor do vulcão Etna, na Itália, com coloração avermelhada e característica devido à presença concentrada de antocianina específica CG3. No processo de extração, o clima e o solo exclusivos da região promovem a retirada dos melhores bioativos da planta (antocianinas, flavonoides, ácido ascórbico e ácidos hidroxicinâmicos), com potente sinergismo entre eles, atribuindo todos os benefícios elucidados, como promoção efetiva da oxidação do tecido adiposo e contribuição para a modelação corporal com segurança, confiabilidade e comprovação científica.

 

Com relação aos mecanismos de ação do Morosil®, no tecido adiposo, a antocianina específica C3G atua na inibição da expressão do receptor PPARγ, que modula diversos genes envolvidos no metabolismo de lipídios, incluindo Acil-CoA sintetase e lipase lipoproteica (LPL), contribuindo para o controle da expressão da proteína transportadora de ácidos graxos, envolvida na captação de lipídeos pelos adipócitos. Além disso, a associação do estimulante sinefrina e a antocianina C3G aumenta a atividade da enzima lipase hormônio-sensível (HSL), contribuindo para o processo de lipólise. Os outros compostos fenólicos do suco de laranja-moro são capazes de auxiliar na redução da inflamação e do estresse oxidativo, condições associadas com a hipertrofia dos adipócitos e, consequentemente, ativação da adipogênese. Outro efeito comprovado doMorosil® acontece no fígado, a partir da diminuição da expressão de genes envolvidos na síntese de triacilgliceróis, como LXR e FAZ, reduzindo de forma significativa a lipogênese. Os compostos bioativos presentes, também, aumentam a oxidação de gorduras via mecanismos dependentes de PPARα, tendo como resultado a modulação da expressão gênica e a melhora significativa do acúmulo de gordura.

 

É sempre importante ressaltar que Morosil® não é um produto encontrado em prateleiras de farmácias ou estantes de supermercado. Morosil® é um nutracêutico prescrito para farmácias de manipulação. Para garantir uma fórmula manipulada adequada, é preciso avaliar a qualidade da matéria-prima e os cuidados com a prescrição! Os ativos magistrais da Galena® funcionam de verdade, e o Morosil® é a prova disso, principalmente, pela qualidade incomparável do extrato da laranja-moro.

 

Sugestões de Fórmulas

 

Redução da gordura abdominal e da celulite

Morosil®…………………………..400mg

Dimpless®………………………….40mg

Posologia: Administrar 1 dose ao dia.

 

Comentário: Dimpless® possui alta atividade antioxidante que proporciona ação lipolítica, atividade anti-inflamatória e contribui na prevenção da fibrose, atuando em todos os principais fatores que levam à formação da celulite. Morosil® potencializa a ação antioxidante devido à alta concentração de antocianina C3G, que atua diretamente na redução do tamanho dos adipócitos, desse modo, reduzindo a gordura abdominal.

 

Gerenciamento dos níveis lipídicos

Morosil®…………………………..100mg

ID-alGTM………………………….100mg

Extrato de chá-verde (EGCG 98%)…………………….100mg

Posologia: Administrar 1 dose, meia hora antes do almoço e jantar.

 

ASSOCIAR COM:

NeOpuntia®……………………………1g

Posologia: Administrar 1 dose, 15 minutos antes do almoço e jantar.

 

Comentários: Morosil® age na lipólise devido à ação sinérgica dos fitoquímicos presentes em sua composição, em especial, antocianina C3G e sinefrin, além de diminuir a expressão de genes como LXR e FAS, que são responsáveis pela lipogênese. Associado ao extrato de chá-verde (EGCG 98%), potencializa a lipólise, além de aumentar a biogênese mitocondrial. ID-alG™ e NeOpuntia® agem na redução da absorção de lipídeos por mecanismos diferentes e complementares. ID-alG™ inibe a alfalipase, além de atuar na redução da alfa-amilase e glucosidase, diminuindo a absorção de carboidratos e lipídeos, enquantoNeOpuntia® absorve os lipídeos presentes no trato intestinal, dessa forma, reduzindo a absorção deles e potencializando o gerenciamento dos níveis lipídicos.

Fonte : Site Galena Nutrition

ProSleep: A melhor distância entre a insônia e o sono

ProSleep: A melhor distância entre a insônia e o sono! Limpa, desinflama e adormece

O QUE É ProSleep?

O ProSleep é  uma fusão fito-acquosa de Berries, ricos em fitonutrientes , um poderoso antioxidante que neutraliza os citocinas inflamatórias relacionadas ao estresse oxidativo, reduz a degradação do triptofano, mantendo os níveis de serotonina e melatonina, evitando os distúrbios do sono.

Promove: Limpeza; Desinflamação; Adormecimento.

O QUE DIZEM OS ESTUDOS?

Estudos mostram que os componentes do Prosleep aumentam a atividade das ondas alfa do cérebro, aumentando a dopamina, serotonina, glicina e GABA. Além disso, exercem efeitos neuroprotetores, atráves da ação antagonista sobre os receptores de glutamato, promovendo relaxamento necessário para inicio do sono.

Todo esse conjunto de ações, promovem uma melhor reparação do sono

ESTUDOS CLÍNICOS ENTRE PROSLEEP E ZOLPIDEN

A comparação entre os efeitos farmacológicos do

Zolpidem e do ProSleep™mostram:

  • Mesmo perfil farmacológico;
  • Reduz o tempo de latência do sono;
  • Aumenta o sono e sua duração.
    •Mantém os níveis de MELATONINA

Posologia: 130mg a 260mg uma hora antes do horário que você deseja dormir

Fonte : Departamento Natuvita

Substitutos Naturais às Estatinas : Alternativas Eficazes para Prescrição Nutracêutica

Substitutos Naturais às Estatinas : Alternativas Eficazes para Prescrição Nutracêutica

POLICOSANOL

Efeito Comparável à Pravastatina

Ativa AMPK (Adenosina Monofosfato Quinase) – Catalisa a fosforilação da HMG-CoA redutase – Modula a síntese de colesterol 

Resultados de um estudos mostraram que um blend de nutracêuticos contendo policosanol tem uma atividade comparável à pravastatina na redução da hipercolesterolemia (Ruscica et al., 2014).

RED YEAST RICE

 Reduz o Colesterol Total e LDL-c 

Guardamagna et al. (2011) demonstraram que a suplementação com Red Yeast Rice e policosanol é capaz de reduzir significativamente os níveis de colesterol total, níveis de LDL-c e apolipoproteína B em crianças com hipercolesterolemia ou hiperlipidemia combinada familiar.

Um estudo conduzido por Cicero et al. (2013) avaliou o efeito de 10 mg de monacolina K, presente no Red Yeast Rice. Eles demonstraram que este nutracêutico reduz a colesterolemia, os níveis de proteína-C de alta sensibilidade, e os biomarcadores de remodelação vascular de forma segura.

ADVASTEROL® 90

Reduz o Colesterol Total

  • Fitoesterol da soja;
  • Estrutura molecular muito similar à do colesterol.

 

Legenda. Advasterol® 90 é solubilizado nas micelas, pois é mais lipofílico que o colesterol. Sofre ação da aenzima ACAT para ser absorvido. O colesterol livre não incorporado no interior das micelas é eliminado pelas fezes.

Estudos mostram que o Advasterol® 90 reduziu em 15% o colesterol total em pacientes hipercolesterolêmicos após 4 semanas.

B-CAN® 70

Reduz o Colesterol Total

  • Concentrado a 70% de betaglucanas.

 


Legenda. B-Can® 70 promove aumento da excreção de ácidos biliares ao mesmo tempo em que sequestram, o que diminui a absorção de gordura no intestino e gera um déficit de colesterol.

 

Um estudo clínico demonstrou que houve uma redução de 7,7% do colesterol LDL após 3 semanas de uso diário de B-Can® 70 como ingrediente funcional combinado a sucos de frutas.

ALTERNATIVAS EFICAZES PARA PRESCRIÇÃO NUTRACÊUTICA

Sachê de Nutracêuticos e Fitocêuticos como Alternativa às Estatinas para o Controle de Dislipidemias

Policosanol___________________10mg
Red Yeast Rice________________200mg
Advasterol® 90________________1,8 g
B-Can® 70____________________2,5g
Excipiente qsp________________1sachê

Administrar 1 sachê ao dia ou conforme orientação médica/nutricional. Dissolver o conteúdo de 1 sachê em um copo d’água

BLEND DE NUTRACÊUTICOS PARA PACIENTES HIPERCOLESTEROLÊMICOS

Cápsulas Nutracêuticas para Melhora do Perfil Lipídico

Berberina (P. amurense)_______500 mg
Policosanol___________________10mg
Red Yeast Rice________________200mg
Ácido Fólico__________________0,2mg
Coenzima Q10_______________2 mg
Astaxantina__________________0,5mg
Excipiente qsp_______________1cápsula

Administrar 1 a 2 cápsulas ao dia

A suplementação com berberina, Red Yeast Rice , policosanol, ácido fólico, coenzima Q10 e astaxantina promoveu redução estatística significativa na colesterolemia total, LDL-c e resistência insulínica (Marazzi et al., 2011).

Fonte : Departamento Natuvita

Referências

Pisciotta L1, Bellocchio ABertolini S. Nutraceutical pill containing berberine versus ezetimibe on plasma lipid pattern in hypercholesterolemic subjects and its additive effect in patients with familial hypercholesterolemia on stable cholesterol-lowering treatment. Lipids Health Dis. 2012 Sep 22;11:123. doi: 10.1186/1476-511X-11-123.

Ruscica M1, Gomaraschi M1, Mombelli G2, Macchi C3, Bosisio R2, Pazzucconi F1, Pavanello C2, Calabresi L1, Arnoldi A4, Sirtori CR5,Magni P1. Nutraceutical approach to moderate cardiometabolic risk: results of a randomized, double-blind and crossover study with Armolipid Plus. J Clin Lipidol. 2014 Jan-Feb;8(1):61-8. doi: 10.1016/j.jacl.2013.11.003. Epub 2013 Nov 11.

 

I-Plus®Algea na melhora do rendimento energético

 

Nativa do norte da Noruega, a alga marrom é considerada um superalimento, pois é fonte de nutrientes e fitoquímicos que auxiliam no equilíbrio e na manutenção da saúde do organismo. I-Plus®Algea é a alga marrom da Noruega pura e seca, obtida por um método de colheita sustentável, livre de GMO e solventes. Ativo composto de vitaminas, minerais, polifenóis, florotaninos, fucoidanos, ácido algínico e uma alta concentração de iodo biodisponível.

Qual a importância do iodo no organismo?

O iodo é um microelemento essencial para a saúde humana, sua principal função é a atuação em hormônios tireoidianos triiodotironina (T3) e tiroxina (T4), que influenciam no funcionamento da tireoide, órgão responsável por manter o metabolismo corporal, cardiovascular, o aumento da produção de ATP e calor. A necessidade de iodo, de acordo com as recomendações da RDA (Recommended Dierary Allowances), é de 150 a 250 microgramas para adultos, mas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 30% da população mundial sofre de insuficiência da ingestão de iodo. Trata-se de um problema de saúde pública de escala global, caracterizado por altas proporções de grupos populacionais com baixo consumo de iodo, especialmente, em regiões como Europa, Mediterrâneo Oriental e África. Caso não seja atingida essa necessidade diariamente mediante a alimentação, faz-se necessário o uso da suplementação.

Pré e Pós-treino

I-Plus® Algea representa uma suplementação natural de iodo para quem se exercita regularmente e procura o estímulo do metabolismo energético, além de promover a manutenção dos hormônios tireoidianos, que desempenham importante papel na síntese de proteínas musculares, no gasto de energia e na regulação da temperatura corporal.

Pode ser utilizado no pré-treino, com intuito de melhorar a performance, e, no pós-treino, para reposição dos minerais e reconstrução da massa muscular, pois, durante a prática de exercícios físicos intensos, há perda de iodo no suor, principalmente, quando realizado em clima quente e úmido.

Conheça mais sobre sua aplicabilidade em outros casos!

Função cognitiva

Por participar das sinapses cerebrais e do processo de mielinização, os hormônios da tireoide exercem papel importante na maturação do sistema nervoso central. Dessa forma, uma deficiência de iodo pode ser responsável por causar danos cerebrais considerados irreversíveis. A consequência mais grave desse quadro é o cretinismo, caracterizado principalmente pelo retardo mental. I-Plus® Algea age com ação coadjuvante na prevenção dos danos neurodegenerativos.

Prevenção de doenças

Os seres humanos apresentam de 25 a 50mg de iodo no organismo, sendo 43% localizadas na tiroide, 35% nas mamas e 22% no restante do corpo, como estômago, pele, glândulas salivares, artérias, colo do útero, articulações, ossos, entre outros. Em um estudo randomizado, a suplementação de iodo (3 a 5mg) demonstrou reduzida sensibilidade mamária, nódulos e fibrose em 70% das mulheres tratadas. A alta ingestão de iodo está associada à menor ocorrência de câncer de mama, podendo ser observadas, como exemplo, as mulheres japonesas, que possuem a maior ingestão de iodo do mundo e a taxa de mortalidade por câncer de mama menor em relação a outros países devido à dieta de estilo ocidental. A incidência de câncer de mama é 3 vezes maior em pessoas com bócio resultante de deficiência de iodo.

Fonte : Site Galena Nutrition

 

 

 

 

A importância da nutrição magistral para a individualização do paciente

 

A nutrição magistral vem ganhando cada vez mais destaque no atendimento do profissional da saúde. É um conceito inovador desenvolvido para ampliar a prescrição clínica com a manipulação de fórmulas personalizadas destinadas para o tratamento e a prevenção de doenças, bem como à suplementação e ao equilíbrio nutricional do organismo.

É um aprimoramento científico que busca compreender a individualidade bioquímica do paciente e obter resultados mais eficazes. A partir de análises de exames, o prescritor consegue fazer um rastreamento metabólico para contemplar as necessidades únicas do indivíduo e manipular fórmulas personalizadas com a comprovação científica de compostos bioativos.

Cada metabolismo responde ao tratamento de compostos bioativos de forma diferente. E é por isso que médico e nutricionista valorizam a importância de respeitar a individualidade bioquímica do seu paciente, avaliando-o desde a primeira consulta e considerando fatores essenciais que influenciam positivamente na saúde, qualidade de vida e no bem-estar.

Qual é o melhor veículo para um ativo? Que vitamina ou mineral complementarão a fórmula? Como associar dois ativos na mesma formulação? Esses são alguns questionamentos comuns feitos pelo profissional. A resposta é a atualização científica. Os avanços da ciência mostram e esclarecem que é possível utilizar a evolução como um meio para melhor conhecimento genético e realizar um planejamento com excelência e segurança para o paciente.

Fonte : Site LifestyleSummit Brazil

 

 

 

O que é detoxificação?

Detoxificar é eliminar sustâncias tóxicas do nosso corpo. O corpo faz naturalmente este processo, mas pode se tornar incapaz de eliminar estas substâncias de forma adequada quando:

1) Somos expostos há uma quantidade alta de poluentes (agrotóxicos, plásticos, fumaça, metais pesados, químicos, corantes, medicamentos, álcool, panelas de alumínio ou panelas antianderente gastas);

2) Quando há deficiência de nutrientes, impedindo com o que o corpo faça seu trabalho corretamente.

Qual a importância do processo de detoxificação no organismo?

Comumente encontradas nos poluentes do ar, aditivos químicos, medicamentos, ou produzidas endogenamente, as toxinas se acumulam nos tecidos, principalmente, em células de gordura e prejudicam o metabolismo e o aporte correto de nutrientes, favorecendo o aumento do risco de desenvolvimento de determinadas doenças e dificultando o emagrecimento saudável. A maioria dessas toxinas são lipossolúveis e em um processo de emagrecimento, quando há quebra deste tecido, há também maior liberação destas toxinas que estavam armazenadas, aumentando a exposição tóxica do corpo.

O processo de detoxificação ocorre naturalmente no organismo, principalmente nas células do fígado, e que tem por objetivo a eliminação ou redução de toxinas, todavia é possível otimizar esse processo mediante o consumo de compostos específicos.

O uso de compostos específicos nas ações detoxificantes e antioxidantes são relevantes para a saúde do organismo. Devido à exposição tóxica e aos desequilibrios nutricionais, estamos cada vez mais suscetiveis a esses fatores de risco que, a médio e longo prazo, contribuem com uma série de alterações neuroendócrinas. A associação desses compostos com alimentos apropriados para o processo de detoxificação torna ainda mais promissora a prevenção de doenças e a promoção da saúde.

Entre em contato com a Natuvita e solicite sugestões de fórmulas que auxiliam no processo de detoxificação 

 

Fonte : Departamento Natuvita

Altilix e Detox IN : Detoxificação eficaz e segura em cápsulas

Altilix

O Altilix™ é um composto de origem natural, extraído das folhas da alcachofra (Cynara cardunculus L. var. altilis). É padronizado em altas concentrações de bioativos com efeito detoxificante devido ao perfil específico da planta cultivada na Sicília. Altilix™ apresenta coloração amarelo-clara, diferente de outros extratos comuns em virtude do seu método de extração aquoso (decocção), que garante a pureza do ativo. Dentre os seus compostos bioativos, destacam-se três: ácido clorogênico, luteolina-7-glucosídeo e a cinarina, que exercem importantes efeitos benéficos sobre o organismo.

Gerenciamento do peso- No processo de emagrecimento, faz-se necessária a detoxificação hepática, após perda considerável de peso, devido ao estímulo da lipólise que contribui para o aumento de toxinas no organismo, levando o organismo a um estado chamado platô (momento em que a perda de peso fica dificultada e sem alterações). Além da prática de exercícios físicos, a alimentação equilibrada, com nutrientes antioxidantes e compostos com efeitos detoxificantes, mostra-se importante na gestão do controle do peso. Nesse sentido, o Altilix™ constitui-se em excelente auxiliar na dieta, pois contém compostos bioativos com ação detoxificante que ajudam no controle do peso e na proteção da saúde.

Esporte- Quando falamos sobre esporte, uma das principais abordagens é o adequado aporte de nutrientes, como vitaminas e minerais. O fígado é o principal órgão onde ocorrem todas as reações de metabolização do nosso organismo e, quando o fígado sofre alguma disfunção, o aporte de nutrientes também fica prejudicado, levando à redução do desempenho, ao catabolismo muscular, à lesões, etc. Dessa forma, a ingestão de nutrientes hepatoprotetores e que contribuam com a redução lipídica é fundamental para a melhora do estado de saúde em geral. Altilix™ possui em sua composição a Luteolina-7-glucosídeo, bioativo que estimula o NRF-2, favorecendo a ação das enzimas antioxidantes sobre as células hepáticas, e inibe a biossíntese do colesterol.

Função Intestinal- Tradicionalmente, os compostos contidos nas folhas de alcachofra são utilizados para atividade detoxificante devido às suas ações antioxidante, colerética e anticolestática. Altilix™ possui a composição ideal para uma excelente ação na melhora da motilidade intestinal, pois promove aumento da produção da bile e aumento do fluxo da bile para o duodeno. A praticidade do Altilix™, ainda, permite que ele possa ser utilizado em suplementos dietéticos, alimentos e bebidas funcionais produzidos para melhorar a funcionalidade do trato gastrointestinal.

DetOX IN

DetOX IN é um produto desintoxicante que ajuda a eliminar as toxinas resultantes de situações rotineiras como stress, poluição, bebidas alcoólicas, má alimentação, exercícios físicos, entre outras atividades. Composto por aminoácidos e ervas fitoterápicas, possui como um dos principais componentes, o elemento mineral Zinco. Essa formulação ajuda na metabolização e eliminação das toxinas, reequilibrando e restaurando o organismo, especialmente por proporcionar melhor funcionamento intestinal, fígado e rins, responsáveis respectivamente pela desintoxicação e eliminação dos compostos tóxicos.

 

Fonte : Site Biovital e GalenaNutrition

Nutrição Comportamental – Uma nova abordagem para agregar valor ao papel do nutricionista

Tem experiência de quatorze anos de aconselhamento nutricional, e de comunicação atuando como consultora, de diversos veículos de comunicação, desde mídia impressa (jornais, revistas femininas e semanais), mídia digital, rádio, e programas de televisão. Como trajetória, Cynthia fundou em 1999 seu primeiro restaurante de comida saudável: Equilibrium – Healthy Food, chegando a oito unidades em São Paulo e duas participações em temporadas de inverno em Campos do Jordão. Como parte de sua experiência, ministra várias palestras nas suas áreas de expertise: nutrição, saúde, nutrição comportamental, marketing, planejamento estratégico, tendências no mercado de alimentos, bebidas, suplementos; comunicação em saúde e nutrição, comportamento do consumidor, inovação e comunicação para indústria de alimentos, empreendedorismo.

 

Estudos que relacionam alimentação e saúde surgem diariamente. E recebem atenção da mídia, e principalmente dos profissionais de saúde que propagam estes achados. Se por um lado isso é bom para fomentar introdução de novos alimentos, melhores produtos e aplicações, por outro lado sabemos que não tem sido suficiente para melhorar a saúde da população.   Os consumidores encontram-se confusos e, com isso, demandam dos nutricionistas novos horizontes em sua abordagem, uma certa habilidade de comunicação e uma compreensão do “porque” se come, e não apenas o que se come.

Essa necessidade tem levado os nutricionistas a buscar conhecimento e prática para tornarem-se agentes da mudança de comportamento. É o que traz de forma pioneira a Nutrição Comportamental, ao ampliar a visão sobre o comer e usar técnicas de tratamento que vão além da prescrição. O  comportamento  é  um  construto  amplamente  estudado  pelas  ciências humanas, especialmente a psicologia. Embora diferenças existam entre as linhas e teorias psicológicas, em geral o comportamento pode ser definido como:

A maneira de se comportar ou de se conduzir;  Conjunto de ações e reações observáveis de um indivíduo frente às interações do meio onde se está envolvido sob determinadas circunstâncias. Ou seja, comportamento são ações, que sempre se relacionam com cognições – o conteúdo do pensamento e os processos envolvidos no ato de pensar, o modo como avaliamos as coisas; e também com os afetos – sentimentos positivos ou negativos para com alguma coisa.

Neste contexto, a Nutrição Comportamental define comportamento alimentar como um conjunto de cognições e afetos que regem as ações e condutas alimentares

.É preciso, porém, diferenciar nomenclaturas e definições muitas vezes usadas como sinônimos na área da nutrição. O que uma pessoa come não é um comportamento, o que ela come é consumo alimentar e nutricional, embora obviamente comer envolva uma ação. A quantidade de energia consumida e o tipo de alimento também não são comportamentos alimentares .Outro pondo a se considerar é de que peso não é um comportamento. E perda de peso, portanto, não é resultado de mudança comportamental, mas sim uma possível consequência. O mesmo pode ser dito para alteração de parâmetros clínicos ou bioquímicos. A mudança de comportamento se dá pela modificação da relação das pessoas com a comida – incluídos sentimentos, crenças, pensamentos e ações.

Muitas vezes o nutricionista se coloca no papel de apontar para os pacientes tudo o que acredita ser necessário mudar, mas o que ocorre é que os pacientes, em geral, sabem o que querem e precisam mudar, porém não sabem  como  fazê-lo.  E  é  justamente  neste  quesito  que  as  habilidades aprendidas por meio da Nutrição Comportamental podem atuar. Considerar a motivação e prontidão do paciente para mudança é fundamental e, mais ainda, é preciso ponderar que a educação nutricional e a prescrição dietética normalmente são insuficientes para mudar comportamento alimentar.

Em publicação de Agosto de 2016 da Today Dietitian, diferentes distorções cognitivas foram analisadas ao observar trinta anos de atendimento a pacientes obesos. Dentre elas:

 

  • Pensamento tudo ou nada:ocorre quando um paciente restritivo vai de um extremo a outro, de um lado as regras de dieta que não levam em conta as necessidades individuais, e do outro o abando de tudo porque não

conseguiu cumprir tais regras.

  • Pensamento da última chance:acontece quando, após quebrar a regra da dieta, o paciente consome o que quer e em quantidade que quer, antecipando o fato de que no dia seguinte começará a dieta novamente.
  • Pensamento de alimentos bons e ruins:rotulagem de alguns alimentos como “fora da dieta”, em geral alimentos mais ricos em calorias, açúcar, gordura, sal. O maior problema desta distorção é tornar estes alimentos mais desejados. Quando as pessoas falham em seguir as regras da dieta, este e os outros dois pensamentos distorcidos anteriores, podem resultar no consumo compulsivo destes alimentos mais calóricos.
  • Afirmações “Deve-se”:em geral refletem o entendimento de regras da dieta como sinônimo de uma alimentação saudável (Ou seja, “eu deveria comer isto se quiser ser saudável”). As afirmações “Deve-se” podem levar a sentimentos de fracasso se a pessoa consome alimentos que não são permitidos na dieta. Isso pode trazer a ideia de tudo ou nada, levando ao comer emocional no longo prazo.

Todo este processo realizado de forma sistemática pode criar uma relação ruim com comida. Os indivíduos passam a ter medo de comer por acreditarem que não são capazes de comer sem exceder. Isso tudo prejudica habilidade dos pacientes em realizar suas escolhas alimentares sozinhos. Neste caso, a maneira de considerar a alimentação, que idealmente deveria ocorrer com um olhar amplo que inclua os aspectos emocionais e socioculturais além dos biológicos, é fundamental para o trabalho com comportamento alimentar. Ainda, a maneira de comunicar as questões relacionadas à alimentação e saúde pode fazer toda diferença.

A  Nutrição  Comportamental  defende  que,  mesmo  em  uma  situação  de doença crônica ou aguda específica que prescinda de dietoterapia com exclusão ou inclusão de certos alimentos, pode haver melhor diálogo com o paciente, e um trabalho mais centrado em aconselhamento – que é a combinação de expertise nutricional e habilidade psicológica – trabalhando de forma colaborativa e não impositiva, com uma proposta construída COM o paciente e não PARA o paciente.

Para promover a mudança de comportamento alimentar na prática clínica, é preciso começar por identificar os comportamentos disfuncionais e habituais, para que possa ser proposto um trabalho com os pensamentos e

crenças que se relacionam com estes comportamentos e então o uso de estratégias de mudança de comportamento e solução de problemas.

É fundamental, portanto, conhecer as ferramentas comportamentais e teorias baseadas em estratégias de mudança de comportamento, que podem ser treinadas e aplicadas pelo nutricionista de forma sistêmica com

um mesmo paciente. A reunião destas diferentes bases teóricas em uma prática clínica é o que define a abordagem da Nutrição Comportamental.

Conheça algumas de suas bases:

  • Entrevista Motivacional: visa estimular a mudança de comportamento ajudando o paciente a lidar com a ambivalência, e trazer à tona suas motivações (extrínsecas e intrínsecas) para mudar ou permanecer como

está, dando-lhe autonomia e fazendo-o sentir-se participante das decisões da própria vida. O nutricionista deve tentar entender quais funções determinado comportamento alimentar tem na vida da pessoa e junto com ela

analisar as crenças, contradições, significados e sofrimentos que isso traz.

  • Terapia  Cognitiva  Comportamental: possibilita  a  compreensão  de como os pensamentos e sentimentos influenciam os comportamentos que envolvem a alimentação e a relação com o corpo, e oferece ferramentas

importantes para reforçar a motivação voltada à mudança de comportamento alimentar . Propõe intervenções estruturadas e orientadas ao presente, com foco na resolução de um problema atual, por meio da modificação de comportamentos que possam ajudar o paciente a aprender novas estratégias de atuação diante de uma situação problema.

  • Comer Intuitivo: tem como objetivo fazer com que os pacientes tenham uma sintonia com a comida, a mente e o corpo, baseando-se em três pilares: permissão incondicional para comer; comer para atender as necessidades fisiológicas e não emocionais, e apoiar-se nos sinais internos de fome e saciedade para determinar o que, quanto e quando comer.
  • Comer com Atenção Plena – Mindful Eating:utiliza a prática de Mindfulness (Atenção Plena), prática contemplativa da medicina definida como a  capacidade  intencional  de  trazer  atenção  ao  momento  presente,  sem julgamentos ou críticas, com uma atitude de abertura e curiosidade .

No contexto da alimentação, estimula a autonomia e o resgate de sinais internos de fome e saciedade. Busca acessar todos os sentidos na escolha alimentar, desde comer o que é gratificante e nutritivo para corpo às sensações físicas e emocionais despertadas durante o ato de comer, visando encontrar equilíbrio nas respostas à comida e/ou ambiente alimentar, ou seja, minimizar o comer emocional (comer por raiva, tédio, angústia ou tristeza).

Não é só comer consciente, demanda uma prática meditativa para acessar esses outros aspectos de regulação de sinais internos e emoções .

  • Competências alimentares: da mesma forma que o Comer Intuitivo e Comer com Atenção Plena, defende a regulação do comer pelas sensações internas, e também o interesse genuíno pela comida – apoiado no prazer,

experiências e contextos alimentares pessoais . O modelo é definido como um conjunto de habilidades autorreguladas no sentido da promoção de autoeficácia, ou seja, pessoas autônomas quanto a sua própria alimentação.

Evidências científicas apontam para o sucesso de estratégias comportamentais no aconselhamento nutricional e mudança comportamental para melhor estado de saúde, tendo inclusive vantagens econômicas, por permitir mudança de saúde com menor custo do que estratégias convencionais .

A partir disso, cientistas acreditam que a Nutrição Comportamental é a abordagem que faltava para que toda a ciência da nutrição gere resultados efetivos na saúde.  E os dados comprovam isto. O uso adequado da

Entrevista Motivacional no contexto da alimentação aumenta a adesão às orientações alimentares que, por sua vez, levam à melhora da frequência de consumo de frutas e verduras, diminuição do consumo de gordura e

consequentemente mudanças de parâmetros bioquímicos, bem como alterações corporais (ganho ou perda de peso) .

O  Comer  Intuitivo  também  mostra  uma  série  de  efeitos  positivos,  tanto comportamentais – como a redução de fatores de risco para transtornos alimentares  (principalmente  na  diminuição  de  compulsões  alimentares); aumento do prazer em comer, menos prática de dieta e menor ansiedade com relação à comida como efeitos clínicos, incluindo redução dos níveis de colesterol, triglicérides e índice de massa corpórea. E uma melhora em 86% nos comportamentos associados à obesidade, como comer emocional, comer compulsivo e comer desatento (mindless eating) foram observados nos estudos cujas intervenções foram baseadas em mindfulness .

Considerando a importância do uso de bases teóricas para a efetividade das intervenções nutricionais, uma revisão da American Dietetic Association Evidence Analysis Library Nutrition Counseling Workgroup concluiu que o aconselhamento nutricional centrado no paciente é componente importante na prevenção e tratamento de doenças crônicas, além de contribuir para a perda/ manutenção de peso, melhorar níveis de glicose em pacientes com diabetes tipo 2 e diminuir fatores de risco de doenças cardiovasculares .

Sabe-se que fortes bases teóricas e a prática são fundamentais para a aplicação adequada das técnicas comportamentais. Cabe, portanto, ao nutricionista que deseja utilizar estas abordagens eu seu consultório, buscar as ferramentas de atualização adequadas. Para uma constante atualização no tema, busque:

www.nutricaocomportamental.com.br

 

Fonte : Site Galena Nutrition